Expansão urbana gera implantação de novos bairros

Expansão urbana gera mais qualidade de vida

Quando se pensa em expansão urbana espera-se que novos negócios se instalem no município e gerem impactos positivos na economia, no desenvolvimento e na geração de empregos.

Porém o crescimento urbano também deve ser levado em consideração e novos bairros devem ser projetados visando oferecer aos moradores uma melhor qualidade de vida.

O desenvolvimento urbano inteligente, o Smart Growth, tem sido consenso internacional, onde otimizam o uso das infraestruturas urbanas.

A população que reside nesses locais tem mais oportunidades para interação social, bem como uma melhor sensação de segurança pública.

Parques, espaços verdes, playgrounds, quadras de esportes e academia ao ar livre devem estar à disposição da população para proporcionar mais qualidade de vida e bem estar.

É preciso que, ao construir espaços urbanos, os investidores tenham uma ampla visão da relação entre seus projetos, a cidade e as condições existentes para integrar aspectos de sustentabilidade em seus empreendimentos.

As cidades atuais necessitam de melhoria na qualidade de vida urbana cotidiana, com mais arborização, iluminação, praças, áreas verdes, áreas de esporte e lazer.

Orla esportiva e de lazer do Aquarela das Artes, em Sinop-MT

Pensando na qualidade de vida e bem estar de seus clientes a JMD Urbanismo e a Família Arpini estão implantando em Alta Floresta, município em momento de grande expansão, o bairro planejado Aquarela Hamoa.

Localizado na região do Hamoa Resort Residencial, onde será a nova centralidade urbana irrigada por uma larga avenida, com ruas orgânicas sem cruzamentos e ciclovias, que abrigará moradias, comércios e serviços.

O bairro já conta com o Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) e várias âncoras já confirmaram sua instalação: o novo Fórum, a nova sede da Defensoria Pública, nova sede da OAB e a unidade de uma faculdade.

Alta Floresta é um município que está em constante expansão, localizado em uma região estratégica, com acesso aos portos de Santarém e Miritituba, que têm sido a rota de escoamento da produção de grãos de Mato Grosso.

O agronegócio é o carro chefe da economia altaflorestense. A pecuária desenvolvida no município é referência e, segundo o Indea-MT, concentra mais de 700 mil cabeças de gado.

Na safra 2018/2019 foram plantados 24,6 mil hectares de soja, 12 mil de milho e 1 mil hectare de arroz, segundo dados da Secretaria Municipal de Agricultura e Pecuária, de Alta Floresta.

A economia também conta com indústrias de beneficiamento de madeira que atuam com produtos oriundos de projetos de reflorestamento, obtendo certificação para exportação.

O município é polo de comércios e serviços atendendo moradores da região. Além da chegada constante de franquias.

Esses benefícios atraem investidores de todo o país e ajudam na expansão urbana e na implantação de novos empreendimentos fazendo com que mais empregos sejam gerados.

De acordo com sistema do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho (Caged), as indústrias e empresas de Alta Floresta contrataram, nos últimos 12 meses, 6.452 pessoas com carteira assinada, comprovando a prosperidade do município.

O texto original foi publicado no site Diario News clique aqui e veja mais.

(Visited 481 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *